Recesso

O INSULTO pára, em recesso até 20 de outubro próximo.

Compartilhar:

Não perca

FUNDAMENTAL para os que pensam fora da casinha e não ainda sabem o que significa o trabalho diplomático: a entrevista de Sergio Amaral, o último embaixador do Brasil nos EUA. (https://noticias.uol.com.br/reportagens-especiais/embaixador-sergio-amaral/index.htm)

Compartilhar:

Não brinca com isso

OS PROFESSORES da UFPR aprovaram moção de suspender o vestibular deste ano em protesto aos cortes orçamentários feitos pelo governo federal. As universidades privadas agradecem a injeção de alunos. Os professores não avaliaram o risco. Primeiro, dar força ao presidente e seu ministro da Educação; segundo, a UFPR revelar que é dispensável.

Compartilhar:

Élégance, toujours l’élégance

Sergio Moro

OS MOROS visitam os Bolsonaros.

Compartilhar:

Ivo viu a uva

Resultado de imagem para bolsonaro escrevendo no hospital

O INSULTO recebeu de fonte anônima o conteúdo integral do texto que o presidente Bolsonaro escreve na foto. Diz o seguinte: “Ivo viu a uva e isso tudo aí”.

Compartilhar:

Enfim, um juiz de bigode

Luiz Antonio Bonat

O UOL traz reportagem sobre Luiz Antonio Bonat, o juiz que substituiu Sergio Moro na 13a. vara federal de Curitiba. Bonat toca os processos em ritmo pianissimo, lento, suave, sem estridência. Moro era o allegro maestoso, rápido, vibrante. Em outras palavras, Bonat não tem pressa, não carrega o relógio nas costas, desesperado para dar sentenças. Procura entender os casos, avaliar as provas, dar tempo não só ao tempo como a réus e advogados para prepararem suas defesas. E o ministério público, para ele, é apenas uma das partes, no mesmo nível, valor e qualidade da advocacia. Não faz tricô nem crochê com procurador.

QUEM É advogado antigo tem definição para Bonat: é aquele juíz antigo que ainda usa bigode. Advogados antigos sabem o valor de um juiz desses: profissional discreto, distante, técnico, equilibrado, que não dá intimidades. Os advogados jovens não sabem a diferença; só conhecem juízes modernos, mundanos, jovens que fazem estragos nas mídias sociais, metem a colher no cozido alheio, armas e bíceps à mostra. Muitos de rosto escanhoado como bebê pé-vermelho, outros de barbas e cabelos longos, não raro de brincos, tatuagens, montados em motos possantes. Advogados de toga, à espera de assumir o Senado.

Compartilhar:

Dinah Washington

What a difference a day made
Twenty-four little hours
Brought the sun and the flowers
Where there used to be rain
My yesterday was blue, dear
Today I’m a part of you, dear
My lonely nights are through, dear
Since you said you were mine
Lord, what a difference a day makes
There’s a rainbow before me
Skies above can’t be stormy
Since that moment of bliss
That thrilling kiss
It’s heaven when you
Find romance on your menu
What a difference a day made
And the difference is you
Compartilhar:

Mais xiitas que o aiatolá

“(…) ele expressou seu compromisso de manter e fortalecer as forças-tarefa.”

DELTAN DALLAGNOL, procurador-chefe da Operação Lava Jato no Paraná, sobre a conversa que manteve com Augusto Aras, futuro procurador geral da República.

E a gente aqui a torcer pela escolha do PGR a partir da lista tríplice e a ver com suspeita sua condição de sócio na advocacia com o advogado que no Senado deu parecer favorável a Eduardo Bolsonaro para embaixador.

A Lava Jato nos fez mais xiitas que o aiatolá Dallagnol. Aiatolá é assim: dá o comando e os fanáticos partem para a morte, homens-bombas. Depois o santo homem muda o comando e os terroristas queimaram à toa.

Compartilhar:

Ronaldinhos fakes

INSULTO hipoteca integral solidariedade ao presidente da República, ao deputado-quase embaixador Eduardo Bolsonaro e acima de tudo a Heloísa, mulher do último e nora do primeiro. Eles estão indignados com a revista Época pela reportagem sobre o coaching ministrado por Heloísa, no qual o repórter passou-se por paciente. Truque, fake.

PODE-SE dizer tudo sobre o presidente Bolsonaro, não que seja fake como o repórter da Época. Fosse fake, não teria sido eleito; é tão genuíno que não se sabe como continua presidente. Se Heloísa é fake, diga-o o conselho de psicologia. Fake na família só os ronaldinhos: o da diplomacia e o dos negócios imobiliários. Como o filho do presidente que elegeu Bolsonaro.

Compartilhar:

MeuMargarito

Mulher dá à luz em banco de trás de viatura da Guarda Municipal em Curitiba.

MANCHETE do antológico portal Banda B. Um recurso aristotélico para diferenciar de outros casos. Confira.

No histórico da Guarda Municipal há registro de homens dando à luz nas viaturas. E mulheres e homens parindo no banco do carona. Estes episódios a Banda não noticia em respeito à família curitibana.

Houve até parto no banco do motorista, a mãe no colo do mesmo, viatura em alta velocidade, sirene e giroflex ligados. Em homenagem ao comandante-chefe da GM, a criança recebeu o nome de MeuMargarito.

Compartilhar:
error: O conteúdo está protegido !!