Sem agá

O MINISTÉRIO da Educação poderá ser a saída honrosa para Onyx Lorenzoni, hoje na marca do pênalti da Casa Civil. E uma saída desonrosa para Abraham Weintraub, o ministro mais sem educação que já pisou no ministério da Educação.

NAS FÉRIAS, Onyx esteve nos EUA para o beija-mão a Olavo de Carvalho, o maior educador do Brasil bolsorâneo. Como dizem os franceses, a cada senhor a honra que lhe cabe. O problema está em que no governo Bolsonaro honra se escreve sem agá.

Compartilhar:

Lesa-pátria

JAIR BOLSONARO fez vasectomia nesta semana, em Brasília. Um crime de lesa-pátria cometido pelo presidente. Sim, crime, porque fica estéril e não continuará a produção dos filhos maravilhosos que gerou até hoje. Ele não deve ter entendido a mensagem da ministra Damares Alves, de esperar para molhar o biscoito. Ou entendido bem demais.

Compartilhar:

Gênios de boteco

“Só confie na ideia brilhante se ela sobreviver à ressaca”

JIMMY BRESLIN (N. Iorque 1928/2017), jornalista.

Compartilhar:

Qual a diferença?

BOLSONARO MANDA demitir o presidente do INSS por causa das filas de segurados, que serão organizadas – ou desbaratas – por militares da reserva. O presidente não demite o ministro da Educação por causa do atraso e fiasco do SISU – nem chama militares da reserva para organizar o fundunço.

Compartilhar:

Ilegal imoral

DOIS PESOS e duas medidas. Fábio Wajngarten, secretário de Comunicação, comete imoralidade ilegal e permanece no governo. Vicente Santini, secretário executivo da Casa Civil, comete imoralidade legal e é demitido. Moral da história: para Jair Bolsonaro o imoral vale desde que seja ilegal.

Compartilhar:

O jato da discórdia

O SUB de Onyx Lorenzoni viajou a Davos e depois foi encontrar o presidente na Índia. Em avião requisitado da FAB. Jair Bolsonaro, para quem miudezas significam grandezas, não gostou e decidiu tirar o sub da sub. Isso no primeiro jato de indignação, porque, assim como veio, o jato se vai.

O SUB não tinha nada que se jactear em Davos, que não é sua área. Ali o governo era representado pelo ministro Paulo Guedes e nós coxinhas por Luciano Huck. Esse gosto pelo avião exclusivo não é só do PT. Não há nos poderes quem não tenha orgasmo psicológico com aviões do governo.

Compartilhar:

Crentes e dementes

REGINA DUARTE bate no cravo e afirma que Bruna Surfistinha é arte. Ainda bem. Os crentes e os dementes do regime Bolsonaro não sabem e nunca saberão o que é uma boa transa. Duvida? Então o que é a trava proposta pela ministra da goiaba?

Compartilhar:

A bom entendedor

FANÁTICO pelos Beatles desde menino, agora velho vai ao banheiro, empachado pela feijoada, e meia hora depois volta entoando Yesterday. Mas só o verso “I’m half the man I used to be”. Em tradução livre “sou a metade do homem de antes”.

Compartilhar:

O pequeno capitão

O PRESIDENTE SUBIU nas tamancas, esbravejou e cuspiu fogo porque o governador Wilton Witzel – que sabe irritá-lo como ninguém – divulgou vídeo em que conversava com o vice Hamilton Mourão. Uma conversa republicana, embora oportunista, em que pedia ajuda para emergências do Estado do Rio.

WITZEL DIRIGIU-SE a Mourão como presidente, função que este exercia naquele momento, como interino. Depois do chilique de Bolsonaro, Mourão fez eco e também criticou o governador. Não tirou pedaço de ninguém, a não ser do ego frágil e inseguro de Jair Bolsonaro, que tem medo e desconfia da própria sombra.

AQUILO DE CHAMAR o vice de presidente foi intolerável. Falar com o vice como sendo este presidente, um ato hediondo. E a gente criticava Dilma com aquela frescura de meter o gênero em tudo, desde o abominável ‘presidenta’. Dilma podia ser grossa como Bolsonaro, mas nunca infantil como o pequeno capitão.

Compartilhar:

O poder corrompe

REGINA DUARTE nem assumiu a área da Cultura e já escreve contra o “marxismo cultural”, a gazopada pseudo científica de Olavo de Carvalho. Antes concordara com Jair Bolsonaro em não apoiar produções LGBT. Não bastasse, terá como vigia-braço direito uma pastora evangélica.

SE, como ensinou Lorde Acton, “o poder corrompe”, Regina foi corrompida na tessitura cultural. Ainda não absolutamente porque, também segundo Acton, só o poder absoluto corrompe absolutamente. E poder absoluto, graças ao bom Deus, nem Jair Bolsonaro tem. Ainda.

Compartilhar:
error: O conteúdo está protegido !!