Páginas de menu
TwitterFacebook

Postado em ago 16, 2019 | 0 comentários

Banana e pepino

É RARO Jair Bolsonaro ter razão. A gente pode não gostar dele, mas todos temos que amar a razão. Foi a razão que trouxe a humanidade até aqui – e a falta dela provoca os soluços que ainda irão extinguir a humanidade. A razão, no entanto, tem-nos ensinado que Jair Bolsonaro não é amigo dela.

O PRESIDENTE anunciou antes do ministro da Justiça o nome do superintendente da PF no Rio. O delegado estava escolhido e aprovado por Sergio Moro. O presidente escolheu outro e demitiu o anterior, assim na manu bolsonari – o equivalente bolsonaro da manu militari.

NÃO É PORQUE Bolsonaro é ‘isso tudo aí’ que se deve bater nele. Não chega a ser como o relógio parado que acerta duas vezes ao dia. Tem horas que o presidente acerta, como agora. “Não sou presidente-banana”, defendeu-se, em tom quase educado.

BOLSONARO não é banana. Mas um presidente-banana não tira pedaço. Tivemos Hermes da Fonseca, Carlos Luz, Temer, todos bananas. Problema não é o presidente-banana, mas o que pode fazer do Brasil uma república-bananeira. Fazem isso os presidentes-pepino. Como um, nosso conhecido.

Compartilhar:

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *