Páginas de menu

Postado em out 15, 2020 | 0 comentários

Bufunfa no buzanfã

PF apreendeu R$ 30 mil escondidos na cueca do senador Chico Rodrigues (DEM/MS). O senador é baixinho, não passa de 1,50m. Daí a pergunta sobre como acomodou o dinheiro junto às nádegas, quantas cédulas, de quais valores. Preliminarmente tem-se que especular quanto ao modelo de cueca.

Cueca samba-canção não podia ser: pouca gente usa, sobretudo os baixinhos, e com ela não se consegue manter preso o dinheiro junto ao corpo. Logo, o senador vestia sunga, como a Zorba clássica, com fios elásticos que a ajusta ao corpo. Visto isso, vem a pergunta, como ele acomodou o dinheiro?

Um problema que desafia a lógica, a alfaiataria e a gravidade, considerados o valor, o número de cédulas e a altura do senador. Vejamos, em hipótese de trabalho: R$ 30 mil significam 150 cédulas de R$ 200, as novas, recém-lançadas, as únicas de transporte prático e confortável para o corruptor e para o corrupto.

Devemos presumir que corruptor e corrupto descartaram cédulas de valores diferentes e numeração não sequencial. Logo, tem-se que o senador Chico Rodrigues carregava 150 cédulas de R$ 300 na cueca. Desse jeito não havia como não ser flagrado, pois baixinho como é, cueca cheia, só o que faz nas calças depois de muita feijoada.

Mas como aquele volume não exalava cheiro (pecunia non olet, dinheiro não fede, ensinou o imperador Trajano), os calejados policiais deduziram que se tratava de dinheiro. Dinheiro de propina, pois dinheiro grande guarda-se no banco – e não se lava com o Sabão Cracá, imortalizado pelos Mamonas Assassinas.

Compartilhar:

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



error: O conteúdo está protegido !!