Páginas de menu
TwitterFacebook

Postado em jan 10, 2020 | 0 comentários

Ferradura, cavalgadura

ESSE MINISTRO Dias Toffoli, presidente do STF, é o cara que dá uma na ferradura e outra na cavalgadura. Parece que fez um juramento: se desagrado num dia, agrado no dia seguinte e assim consecutivamente. Depois de bancar o Gilmar Mendes-para-Michel Temer ao avalizar o juiz de garantias, ele cassa a liminar que proibia a apresentação do espetáculo do Porta dos Fundos sobre Jesus Cristo. Antes, Toffoli deixara Lula preso e depois foi o voto Minerva na libertação de Lula. O ministro lembra meu primo Hamilton. Criticado como o maior dos indecisos, um dia decidiu que seria assertivo. Ao tropeçar na primeira dúvida, bateu na mesa e berrou: “Agora, eu acho que sim!”

Compartilhar:

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *