Páginas de menu

Postado em set 15, 2020 | 0 comentários

Garantismo

Tocou um telefone entre os bens apreendidos na casa do chefe do propinoduto da prefeitura do Rio. Lá presente, cumprindo mandado judicial, o delegado atendeu. Do outro lado falava o prefeito Marcelo Crivella. Quando o delegado identificou-se, o prefeito desligou. O telefone era de uso exclusivo entre o prefeito e seu auxiliar, suposto chefe do propinoduto. Essa prova acaba anulada no STF/segunda turma: quebra do sigilo telefônico. Garantismo é isso.

Compartilhar:

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



error: O conteúdo está protegido !!