Limino, liminas

ESSA TAL de judicialização é mesmo uma droga. Um juiz dá liminar contra a posse da deputada Cristiane Brasil no ministério do trabalho. Um ministro dá liminar e cassa a liminar anterior. Daí vem a presidente do STF com liminar contra a liminar mais recente e suspende a posse.

Enquanto isso a deputada fica na agonia de ir ao cabeleireiro, tirar a naftalina do vestido, entrar na nuvem do perfume francês e a posse nada de acontecer. Já virou conjugação de novo verbo na gramática da política: limino, liminas, limina.

Ainda bem que ainda há Gilmares no STF, assim como havia juízes em Berlim no tempo do kaiser Guilherme, que queria tirar o moleiro da posse de uma casinha. O ministro Gilmar Mendes será o relator final da matéria e ele é a mãe de todas as garantias constitucionais.

Brigar contra os ministros de Michel Temer é perda de tempo. Afinal, o presidente é Michel Temer e sua troika manda no governo. Um ministro ou um ministro a menos com problemas é, como diziam os antigos, apenas “mais uma pelota para o lazarento”

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *