Páginas de menu
TwitterFacebook

Postado em nov 13, 2019 | 0 comentários

Mão grande, boca pequena

A VEREADORA KATIA DITRICH (SD) está proibida de falar na câmara municipal de Curitiba por trinta dias, conforme punição aplicada por praticar rachadinha. 

Rachadinha é o ato do político que passa a mão em parte dos salários de seus funcionários. Pode ser 1/2, 1/3, até 1/5 se for deputado ou senador que respeita o quorum da emenda constitucional. Chama atenção a pena aplicada: ficar quieta, calar a boca, fazer o mudo. Ou seja, tomou dinheiro, caladita, no más, melhor não falar mais disso, rache em silêncio.

Por que calada? Para impedir Katia de ir a plenário, pedir a palavra e jogar na cara dos colegas: “fiz; e quem aqui não faz?”. Como os vereadores têm medo de quebrar o vidro do telhado, calaram a colega. O Insulto hipoteca solidariedade a Katia Ditrich. Não por levar na mão grande a grana dos funcionários. Mas por ser punida na boca pequena.

Compartilhar:

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *