Muy poco

Em entrevista ao uol, o ministro Torquato Jardim, da Justiça, atribui aos “exageros” da disputa entre os ministros Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso a prisão dos três amigos do presidente Michel Temer.

O ministro é homem equilibrado, advogado temperado e agora político que mede as palavras. Tem lá suas razões, com as quais não precisamos concordar.

Do que ele afirma, só uma conclusão: no estado calamitoso dos costumes do Brasil, nos três poderes, judiciário não excluído, mais brigas entre ministros podem trazer algum avanço institucional.

Nesse sentido, vide a decisão do Supremo que aceitou a denúncia contra o senador Aécio Neves pelos crimes de corrupção e obstrução da justiça, algo inimaginável para quem foi o queridinho de Brasília.

Estamos como Pancho Villa, o caudilho da Revolução Mexicana, que, apresentado ao Ford T e saber que o motor fazia 1000 revoluções por minuto, comentou: “Muy poco”. Precisamos de mais brigas no Supremo.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *