Alexandre Frota entra na comissão de transição de Lula, área da Cultura. José de Abreu, ator e petista, critica: Frota é incompatível com a Cultura. Há controvérsia, haja vista a escolha. Para muitos o pornô é cultural, didático e informativo, além de produtor de riquezas. E criticar o pornô, ainda que indiretamente com Alexandre Frota, é pura hipocrisia, diante da obscenidade da política.

Compartilhar:

Os vereadores de Curitiba, em maioria, aprovam moção de repúdio ao ministro Alexandre Moraes. O presidente do TSE é dado como golpista, autoritário e antidemocrático. Coisa antiga: na política e na guerra a primeira vítima é sempre a verdade. Quando a autoridade que conduziu com firmeza e rigor as eleições, a ação decisiva na democracia, impedindo ações tendentes a levar o país à ditadura, é tachada de autoritária, o cacoete autoritário pega em quem acusa.

Não fosse a intervenção de Moraes – apenas no caso das urnas e das eleições – o Brasil estaria sob a ditadura de Bolsonaro (que ainda pode ocorrer, a julgar pela nota dos três comandantes militares, de generais estimulando protestos em frente aos quarteis que comandam e o estímulo silencioso do presidente da República). Do jeito que estão as coisas, as acusações recíprocas de golpismo resultam em soma zero.

Só a evidência de sua conformidade com a Constituição revela quem está com a verdade na troca de acusações. E até o momento quem a tem de seu lado é o presidente do TSE. Quanto aos vereadores de Curitiba, cuja irrelevância é histórica, a moção contra o ministro Moraes apenas a confirma e indica a causa suspeita: a pá de cal que o Judiciário lançou sobre a cassação do vereador Renato Freitas.

Compartilhar:

Soldado primeiro, colega depois

Do Uol:Colega que matou soldado da FAB em Brasília foi preso em flagrante”. Desde que a gramática adotou as categorias da lógica, o ato de escrever também é ato de pensar. Portanto, não foi o colega que matou o soldado da FAB. Foi o soldado da FAB quem matou o colega. Porque os dois são primeiro soldados e depois colegas.

Compartilhar:

Essencia e grau

Copa no Qatar: tem que gostar de futebol, um gosto tao sensivel e exigente que cede ao sofrimento de saber que por tras de tudo aquilo existe, de um lado, a ditadura sanguinaria e medieval e, de outro, o capitalismo guloso das organizacoes do esporte, times, patrocinadores. Ingenuidade dizer isso, claro que sim. Temos o mesmo na pol’itica. A diferen’ca est’a no grau, n~ao na essencia. No Qatar, na pol’itica e na vida, o ideal ‘e mexer no grau, pois a essencia e’ humana. Uma Copa no Qatar nao difere muito da Olimpiada de 1936, na Alemanha, para glorificar o nazismo.

Compartilhar:

Nao por isso, capitao

Do moco’ da ema, Bolsonaro lamenta nao oferecer apoio aos golpistas. S’o nao o faz, diz, com receio da justica. Como se uma palavrinha a mais de apoio ao golpe fosse decisiva. A justica ira pega-lo pelo conjunto da obra, nao pelo prego enferrujado no portao. Mire-se em Lula. Depois do problema com a justica veio a gloria de ser absolvido pelo eleitor e o mea culpa da propria justica.

Compartilhar:

O vicio da sem cerimonia

Com a cirurgia da laringe, Lula deve descansar a voz por uma semana. Ajudaria, se ele ficasse impedido de continuar a dizer sim para as bocas livres (o problema organico do petismo, segundo o ex-governador Anthony Garotinho). Como tomar emprestado jatinho do dono da Qualicorp (atencao, nao confundir com Gamecorp, de Lulinha) para ir a conferencia do Clima, no Egito. Nem voltar – atrasado, depois de pausa para preparacao do alibi em Lisboa – com a desculpa cinica de que foi de carona em aviao de amigo (amigo, em estranha e sobrenatural coincidencia, teria que tambem ir a conferencia do Clima?

Menos ainda a cara de pau de acusar Bolsonaro de nao lhe ter cedido transporte oficial. Lula ja devia estar escaldado com as caronas de amigos, como os da Odebrecht, que o ajudaram a levar para a prisao e a falencia da empresa. Alem disso, ele nao era obrigado a viajar ao Egito, pois nao estava em missao oficial. Se Bolsonaro negou o transporte, o presidente nao pode ser criticado por isso, sim pela omissao do dever de representar o Brasil. Quanto a Lula, ha tempo para brilhar em conferencias internacionais, ainda que Bolsonaro esteja trancado a chorar no banheiro. Depois da Lava Jato, o PT precisa perder o vicio da sem cerimonia.

Compartilhar:

Originarios de onde?

Lula pretende criar o ministerio dos povos originarios. Como sempre aquela coisa brasileira de nao dizer nada ou dizer muito para significar nada. Povos originarios no Brasil sao os que vieram da Europa, do Japao e ate os da Turquia, que os brasileiros sempre confundiram com os arabes, povos tao originarios que sempre buscam dupla cidadania – ou a originaria original, em brasileiro que nada diz. Lula pensou nos indios, isto e, os que sobraram do genocidio historico. Portanto, o certo seria chamar os povos de sobreviventes. Mas teria problema com os curados do covid.

Compartilhar:

Iman e’ religioso arabe

No acampamento golpista, a barraca amarela e a legenda ‘todo o poder emana do povo’ com a traducao no ingles de Eduardo Bolsonaro, o chapeiro do Burger King que o pai quis fazer embaixador nos EUA: “all power imans from de people”. Dali so emana o fedor e a ignorancia bolsominios.

Compartilhar:

Negros de conveniencia

No Uol: so’ 30% dos parlamentares eleitos nas ‘ultimas eleicoes sao negros, como se autodeclaram. Foi a ultima vigarice politica, essa de capitalizar em cima da discriminacao historica e estrutural. Mas isso ficou no papel. Os eleitos preparam um sistema de cotas raciais para eles, pois conseguiram a escapatoria do destino: entram na classe dirigente com dois ingressos, o da mentira e o da corrupcao. Como tratar essa gente mentirosa? Ora, do jeito que os negros sao tratados no Brasil – sem fraternidade.

Compartilhar:

Posts capengas

O blog pede a compreensao do leitor para a falta de sinais diacriticos no texto; o editor os engoliu e o redator nao teve aptidao ou assistencia para acentuar palavras.

Compartilhar: