Páginas de menu
TwitterFacebook

Postado em jan 16, 2020 | 0 comentários

Tivesse delação premiada…

Se for ilegal a gente vê lá na frente.

JAIR BOLSONARO justifica sua decisão de não demitir Fábio Wajngarten, o secretário que distribuía dinheiro público para empresas que o usavam para pagar faturas da empresa na qual o secretário detinha 95% do capital.

O “LÁ NA FRENTE” é expediente de ganhar tempo enquanto o auxiliar sangra em via pública; expediente do chefe negociar o silêncio cúmplice do auxiliar que violou a lei para servir aos interesses do chefe.

LEVA ALGUM tempo até que os dois, chefe e auxiliar, percebam que o adiamento não cala o clamor da crítica. Passa-se um intervalo (in)decente de tempo até que o auxiliar seja lançado. Com o reconhecimento do chefe.

Compartilhar:

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *