Só se Ideli voltar

O PT insiste em ter canal de televisão, sempre no sem graça do pobre quando almoça na casa do patrão.. Entrou com recurso após a negativa do pedido, segundo a qual, além da restrição legal, haveria desigualdade em relação aos partidos, que não têm canais. Não seja por isso, sim por outra razão. O PT não precisa de canal, pois tem o mais eficiente, com o melhor apresentador – Lula, que mesmo sem canal tem mais audiência que Ratinho, Sílvio Santos, Huck, Mion e o rapaz desidratado do BBB. O impedimento legal é argumento-biombo para negar mais um elemento de reforço contra o Centrão e contra Bolsonaro a um partido que pretende se manter no poder por mais dois mandatos de Lula e um para José Dirceu, a fênix que renasce e opera ainda no lusco-fusco do alvorecer.

O problema também não é possibilitar canais de televisão para os demais partidos. Primeiro, porque lei é como gado, que na Disparada, de Geraldo Vandré, a “gente tange, marca, ferra, engorda e mata”. Segundo, porque com a internet todo mundo tem televisão, a grande e a  pequena dos podcasts e influencers; não bastasse, todas as assembleias legislativas mantêm seus canais de televisão (de resto, úteis para desvios de dinheiro, como se viu na renovação do contrato da do Paraná). Os canais de televisão legislativos o que são? A mesma coisa que o PT pretende com exclusividade. Como sempre, as palavras, servem para escamotear o pensamento. Como se diz desde o passado, basta uma penada do legislador para que todos os partidos ganhem seus canais.

Ao fim e ao cabo, como dizia o trigovernador com a expressão que apropriou de Sidónio Muralha, o poeta português, o PT quer mesmo é arma contra a rede Globo, que valorizou a Lava Jato e com esta favoreceu o bolsonarismo e a prisão de Lula. Mas nem isso justifica negar o canal ao PT, sequer a perspectiva de novelas em Bildundsroman de Janja/Lula, Gleisi/Lindberg-lindinho ou Zé Dirceu, de sotaque caipira, fazendo um Bonner de boné justificam a negativa. Só tem um problema, o financiamento da televisão, que vai exigir dinheiro novo de nosso velho bolso. A menos que o PT, como a outra igreja, a Universal, cobre dízimo da companheirada ao reforçar o poder aquisitivo destas com cargos públicos em comissão, na velha e batida técnica do aparelhamento do Estado.

Portanto, “às favas os escrúpulos”. Conceda-se o canal ao PT. Apoio em gênero, energúmeno e grau, com a esperança de rever a ex-senadora Ideli Salvatti, agora como um Sikêra Jr. na TV/PT – ou TV/Lula, como avião que mete e arremete.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *